sábado, 13 de fevereiro de 2021

DER FREISCHÜTZ, Bayerische Staatsoper, Fevereiro / february 2021


 

A Bayerische Staatsoper vai transmitir no próximo Sábado dia 13 às 17h30m (hora de Portugal) a ópera de Karl Maria von Weber, Der Freischütz.


O elenco é o referido na publicação do teatro.

Pode ver-se em:

www.staatsoper.tv

É mais uma oportunidade de assistir a um potencial bom espectáculo nestes tempos de penúria!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

LOHENGRIN, San Francisco Opera, transmissão / streaming

 


Mais uma oportunidade de assistirmos a uma transmissão diferida de um espectáculo muito elogiado pela crítica.

Trata-se da ópera Lohengrin de R. Wagner, levada à cena recentemente pela Ópera de San Francisco e que será transmitida durante uma semana, a partir do próximo dia 6 de Fevereiro às 10h00 em San Francisco (18h00 em Lisboa).

(Fotografia / Photo: Cory Weaver, San Francisco Opera)


A encenação é de Frank Zamacona e a direcção musical de Nicola Luisotti.

(Fotografia / Photo: Cory Weaver, San Francisco Opera)

Tem como solistas principais Brandon Jovanovich (Lohengrin), Camilla Nylund (Elsa), Petra Lang (Ortrud), Gerd Grochowski (Friedrich von Telramund), Kristinn Sigmundsson (Heinrich) e Brian Mulligam (Arauto).

https://sfopera.com/opera-is-on/streaming/


LOHENGRIN, San Francisco Opera streaming

Another opportunity to watch a broadcast of a show highly praised by critics.

It is the opera Lohengrin by R. Wagner, recently performed by the  San Francisco Opera and which will be broadcast for a week, starting on the 6th of February at 10 am in San Francisco (6 pm in Lisbon).

Frank Zamacona directed and Nicola Luisotti was the maestro.

Main soloists are Brandon Jovanovich (Lohengrin), Camilla Nylund (Elsa), Petra Lang (Ortrud), Gerd Grochowski (Friedrich von Telramund), Kristinn Sigmundsson (Heinrich) and Brian Mulligam (Herald).

https://sfopera.com/opera-is-on/streaming/


domingo, 31 de janeiro de 2021

LA WALLY, Teatro de São Carlos, Lisboa

 


O Teatro de São Carlos disponibiliza hoje às 16h00 (no site do Teatro) a transmissão da ópera La Wally (em versão concerto) de Alfredo Catalani, com libretto de Luisi Illica, dirigida pelo maestro António Pirolli.

São interpretes a Orquestra Sinfónica Portuguesa, o Coro do Teatro Nacional de São Carlos e os solistas Zarina Abaeva (La Wally), Luiz-Ottavio Faria (Stromminger), Patrícia Quinta (Afra), Joana Seara (Walter), Azer Zada (Giuseppe), Luis Cansino (Vicenzo) e Nuno Dias (almocreve).

Um espectáculo de qualidade onde é possível ouvir uma das mais belas árias para soprano "Ebben? Ne andrò lontana" e uma intérprete de nível excepcional, a soprano russa Zarina Abaeva,  que recentemente destacamos na interpretação do Requiem de Verdi em Milão, na leitura de Currentzis:

http://fanaticosdaopera.blogspot.com/2020/11/messa-da-requiem-verdi-na-leitura-de.html


La Wally, Teatro São Carlos, Lisbon

The Teatro São Carlos makes available today at 4 pm (on the Theater website) the broadcast of the opera La Wally (in concert version) by Alfredo Catalani, with libretto by Luisi Illica, directed by conductor António Pirolli.

The Portuguese Symphony Orchestra, the Choir of the São Carlos National Theater and the soloists Zarina Abaeva (La Wally), Luiz-Ottavio Faria (Stromminger), Patrícia Quinta (Afra), Joana Seara (Walter), Azer Zada (Giuseppe), Luis Cansino (Vicenzo) and Nuno Dias (muleteer).

A quality performance where you can listen to one of the most beautiful soprano arias "Ebben? Ne andrò lontana" and an exceptional interpreter, Russian soprano Zarina Abaeva, which we recently highlighted in the interpretation of Verdi's Requiem in Milan, directed by Currentzis:

http://fanaticosdaopera.blogspot.com/2020/11/messa-da-requiem-verdi-na-leitura-de.html



sábado, 23 de janeiro de 2021

UMA NOITE NA ÓPERA / A Night at the Opera - Fundação Calouste Gulbenkian

 


Enquanto a pandemia de COVID-19 continua a arrasar a cultura, a Fundação Calouste Gulbenkian disponibiliza no site abaixo referido o concerto "Uma Noite na Ópera". 

A Orquestra Gulbenkian foi dirigida pelo maestro Lorenzo Viotti e o concerto teve como solistas Aylin Pérez (soprano), Joshua Guerrero (tenor), Margarita Gritskova (mezzo) e Roman Brudenko (barítono).


Interpretaram-se peças de Bizet, Mascagni, Puccini, Giordano, Tchaikovsky, Rachmaninov, Bernstein e Lara.

Apesar de muito meritório por parte da Fundação Gulbenkian, é um fraco consolo que nos é oferecido, na impossibilidade actual de assistir a concertos ou óperas ao vivo.



sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

DIE ZAUBERFLÖTE / A Flauta Mágica / The Magic Flute, Royal Opera House, Dezembro / December 2020

 


Foi hoje disponibilizada pela Royal Opera House de Londres e estará disponível nos próximos dias a gravação da ópera A Flauta Mágica de W.A. Mozart que foi transmitida pela primeira vez em 2017. Pode ver-se aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=CqT9_yfUfXI

A encenação de David McVicar é vistosa, colorida e variada, proporcionando um espectáculo muito agradável. A direcção musical foi de Julia Jones.

(Fotografias / Photo: Tristan Kenton ROH)

Nos solistas principais há alguns estreantes e interpretações muito boas. O melhor é o Papageno do barítono Roderick Williams que, por si só, vale o espectáculo, tanto pela excelente interpretação vocal como pela presença cénica. Também muito bons foram a soprano Siobhan Stagg (Pamina) detentora de um soprano de grande beleza, o baixo Mika Kares (Sarastro) e a soprano Sabine Devielhe (Rainha da Noite). 


                                 (Fotografias / Photo: Tristan Kenton ROH)

Completam o bom conjunto de solistas o tenor Mauro Peter (Tamino) a soprano Christina Gansch (Papagena) e o cénicamente fantástico Peter Bronder (Monostatos).

                                  (Fotografias / Photo: Tristan Kenton ROH)

Uma bela prenda de Natal da Royal Opera.




quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

LOHENGRIN, Staatsoper unter den Linden, Berlim, Dezembro / December 2020


 (text in English below)


A Staatsoper unter den Linden, uma das várias companhias de ópera de Berlim, transmitiu no dia 13 a estreia da nova produção do Lohengrin de R. Wagner. Nas próximas semanas pode ver-se aqui:

https://www.arte.tv/de/videos/099744-001-A/roberto-alagna-und-vida-mikneviciute-in-lohengrin/

Direcção musical de Matthias Pintschner da Staatskapelle Berlin e do Staatsopernchor.
A encenação é do espanhol Calixto Bieito. É má, não tem nada de interessante ou inovador, várias partes ridículas e, como acontece sempre nas suas encenações, com muito sangue e um joker.


(Fotografia / Photo Monika Ritterhaus)


Os cantores também tiveram desempenhos distintos. Roberto Alagna não é um heldentenor e foi um Lohengrin opaco. A narração do Graal foi interessante mas começou a quebrar a voz. É sempre difícil vermos em Wagner um cantor que até agora nunca entrou neste reportório.

A soprano Vida Mikenviciute esteve mal como Elsa von Brabant. Tem um vibrato muito incomodativo e foi dura na interpretação, sem transmitir emotividade.


                                        (Fotografia / Photo Monika Ritterhaus)

A Ortrud de Ekaterina Gubanova foi a melhor da noite, apesar da encenação que a colocar frequentemente em situações ridículas. Também estiveram bem Martin Gantner como Friedrich von Telramund e René Pape como Heinrich.


                                        (Fotografia / Photo Monika Ritterhaus)

A tristeza é o final... sala vazia... que desconsolo e que tragédia para a Ópera nestes tempos!






terça-feira, 8 de dezembro de 2020

SIMON BOCCANEGRA, Opernhaus Zürich / Ópera de Zurique, Dezembro de 2020

 

(Text in English below)


A Ópera de Zurique transmitiu em directo no passado dia 6 de Dezembro uma das suas novas produções desta temporada, a ópera Simon Boccanegra de G. Verdi, numa encenação de Andreas Homoki com direcção musical de Fabio Luisi.

A transmissão pode ver-se nas próximas semanas no seguinte endereço:

https://www.arte.tv/de/videos/100367-001-A/giuseppe-verdi-simon-boccanegra-aus-der-oper-zuerich/ 


(Fotografia Monika Ritterhaus)

A acção foi trazida para o início do Sec. XX, com claras referências ao nazismo. Um barco evoca Génova e Boccanegra como corsário. Uma criança de branco aparece ocasionalmente como visão de Maria. O palco está quase sempre a rodar, a encenação é escura e por vezes parece um filme de terror. Mas acaba por ser interessante. O final do 1º acto é sublime, também com as interpretações fabulosas das personagens.

Quanto aos cantores solistas, a qualidade é impressionante. Nas condições actuais da pandemia de COVID-19, a Orquestra Philharmonia Zürich, o Coro da ópera de Zurique e os cantores estão em locais distintos. O som é tratado antes de ser transmitido, mas o efeito final é notável. No intervalo há uma explicação interessante.


(Fotografia Monika Ritterhaus)

Christian Gerhaher (Simon Boccanegra) é um barítono alemão que muito aprecio e tem uma interpretação excelente. O timbre é muito bonito e fraseia impecavelmente. Jennifer Rowley (Amelia Grimaldi) é uma cantora de voz afinada e poderosa, por vezes excessivamente forte para a personagem frágil que representa. Christof Fischesser (Jacopo Fiesco) é um excelente baixo de voz escura e segura. O tenor Otar Jorjikia tem um timbre invulgarmente cativante, esteve perfeito no primeiro acto, mas "arranhou" algumas notas nos outros. Também com prestações de grande nível estiveram o baixo barítono Nicholas Brownlee (excelente como Paolo Albiani), o barítono Brent Michael Smith (Pietro) e Siena Licht Miller (empregada de Amelia).


(Fotografia Monika Ritterhaus)

Um espectáculo a não perder.


SIMON BOCCANEGRA, Zürich Opera, December 2020