quinta-feira, 7 de novembro de 2019

ORFEO ED EURIDICE, Teatro de São Carlos, Novembro / November 2019



(review in English below)

No centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen decorreu no Teatro de São Carlos uma homenagem em que foi cantada em versão concerto a ópera de Christoph Willibald Gluck, Orfeo ed Euridice.



Antes do início do concerto intervieram a sua filha, Maria Andresen Sousa Tavares que evocou a memória e obra, justificando a escolha desta ópera pela mãe, e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que após um belo discurso atribuiu o Grande-Colar da Ordem de Sant'Iago da Espada.



O concerto foi digno. A maestrina Jane Glover dirigiu a Orquestra Sinfónica Portuguesa que teve mais um bom desempenho e o Coro do Teatro Nacional de São Carlos que também esteve bem.

Como solistas a mezzo croata Renata Pokupic cantou um Orfeu com voz afinada, e audível, sem deslumbrar. Prefiro ver este papel cantado por homens, mas os contra-tenores capazes não abundam. A Euridice foi interpretada ao mais alto nível pela soprano Eduarda Melo e a soprano Sandra Medeiros também teve uma interpretação de qualidade como Amore. Como aspectos negativos refiro ter sido em versão concerto, não ter havido legendas e, menos relevante, os fatos e vestidos com que as solistas se apresentaram. Mais feios era difícil.






***


ORFEO ED EURIDICE, Teatro de São Carlos, November 2019

In the centenary of the birth of Sophia de Mello Breyner Andresen, a tribute was performed at the Teatro de São Carlos in which Christoph Willibald Gluck's opera Orfeu ed Euridice was sung in concert version.

Before the beginning of the concert her daughter Maria Andresen Sousa Tavares evoked the memory and the work, justifying the choice of this opera by her mother. The President of the Portuguese Republic, Marcelo Rebelo de Sousa, after a beautiful speech, awarded Sophia the Grande Colar da Ordem de Sant'Iago da Espada.

The concert was ok. Conductor Jane Glover directed the Portuguese Symphony Orchestra, which performed well, and the São Carlos Theater Choir, which also performed well.

As soloists Croatian mezzo Renata Pokupic sang an Orpheus with a tuned, audible voice without dazzling. I prefer to see this role sung by a man, but capable counter-tenors do not abound. Euridice was performed at the highest level by soprano Eduarda Melo and soprano Sandra Medeiros also had a quality interpretation as Amore. As negative aspects I refer the concert version, there were no subtitles and, less relevant, the very ugly dresses of the soloists.

***

6 comentários:

  1. Sophia certamente merecia a música mais sublime, o que não foi o caso, ao que soube. Só Eduarda Melo esteve à altura, a oquestra foi um desastre e a récita en geral 'chata'. E Sophia certamente dispensava discursos de circunstância de fosse quem fosse que não poeta.

    "E para trás de mim fica o murmúrio
    Das ondas enroladas como búzios."

    Murmúrios das ondas enroladas como búzios, eis o que teria sido bem melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eduarda Melo foi sem dúvida a melhor. Tudo o resto foi decente (para o que se tem visto no São Carlos nos últimos anos), mas aquém de um espectáculo empolgante. E as óperas em versão concerto são sempre deficientes, mesmo quando muito bem cantadas.

      Eliminar
  2. Orfeu de Gluck sem ser encenado é uma enorme chatice. Ainda para mais se o protagonista não for genial vocalmente

    ResponderEliminar
  3. Sem bons intérpretes as versões concerto não fazem qualquer sentido. Quanto ao Orfeo por contratenores, permita-me contrapor uma senhora...
    https://www.youtube.com/watch?v=N_vX5gYfDrs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim Jorge, Ewa Podles é um exemplo excelente, concordo. Outro é a Marilyn Horne. Ambas a milhas de distância da que ouvimos no São Carlos! Obrigado por nos trazer esta magnífica interpretação.

      Eliminar